ISSN 1982-8802

Ano X | Publicação Semestral

deutsch   english   français   español

 

Apresentação

Expediente

Número 1

Número 2

Número 3

Número 4

Número 5

Número 6

Número 7

.doc recomenda

Mural

Links

Normas

 

 

 

.doc recomenda!

Lançamentos

1  2

Teoria Crítica

1  2  3

Estudos de Mística e
Filosofia da Religião

1  

Prosa e Poesia
Contemporâneas

1  2

Estudos de
Literatura

1  2  3  4  5  6  7

Filosofia

1

Estética

1

Outros

1

Armadilhas Ficcionais: Modos de Desarmar

Carlinda Fragale Pate Nuñez (org.)

7Letras, 2003

Armadilhas ficcionais dá continuidade à produção crítica de um grupo de professoras de Letras da UERJ que a 7letras vem publicando há três anos. Esta série mantém um perfil voltado para reflexão ensaística e teoria da literatura. Os autores analisados neste volume são Thomas Mann, Haroldo de Campos, Graciliano Ramos, João Ubaldo, Hilda Hilst e Bernardo Carvalho.

Literatura e Sociedade: narrativa, poesia, cinema, teatro e canção popular

Andre Bueno (org.)

7Letras, 2006

Resultado do I Seminário Literatura e Sociedade, realizado na Faculdade de Letras da UFRJ em 2005, o livro reúne em seus artigos, através de enfoques diferentes - concentrados principalmente na experiência brasileira -, interessantes estudos sobre a relação entre texto e contexto em diversas manifestações artísticas.

Poesia e crítica: uns e outros

Vera Lins

7Letras, 2005

Camus diz no Mito de Sísifo que não há sol sem sombras e é preciso atravessar a noite. Finalidade sem fim para Kant, a arte e a poesia, por isso mesmo (num mundo em que nada mais é gratuito), articulam a possibilidade de travessia. No meio da encenação e do barulho contemporâneos há alguma poesia tentando tornar isso possível.

O Ato de Publicação

André Rangel Rios

Booklink, 2008

O que separa o ato do fato? Embora umbilicalmente ligados, há um longo caminho e muitos agentes e pacientes entre um e outro. No ato de publicar não é diferente. O verbo publicar se alimenta de muitas mentes, é tecido por muitas mãos e envolve a sensibilidade de muitos corações e retinas. E não constitui, como diz a gramática, verbo transitivo direto, porque não acaba no objeto ou no usuário do objeto. Publicar é um rio que deságua no oceano. Não é um meio, tampouco um fim, mas trânsito. Não joga com antítese e síntese, pois não se trata de dialética.Tal mistério desafia o tempo, o espaço, a vida. Este livro mergulha nesse processo insondável, que não começou com a escrita. Vem de antes, da criação maior, quando ela se abriu ao primeiro olhar e vai se transmutando com os novos olhares que nela penetram, ad infinitum, além do do texto, do papel, da cor e da tinta. O cosmos é o limite. As discussões contidas nos ensaios desta coletânea procuram evidenciar a desvalorização, pelos escritores e críticos, sobre o ato de publicar e do sucesso literário, em favor de uma suposta pureza criativa inerente ao ato de escrita literária, porque abrem novos caminhos de questionamento, e talvez sejam as que, no momento, merecem maior atenção. André Rangel Rios, doutor em filosofia pela Universidade Livre de Berlim, atualmente professor no Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), é autor de romances e ensaios.

 

Editor | Eduardo Guerreiro B. Losso
Contatos | revistapontodoc@gmail.com