Soggettività e tecnica in Corazón tan blanco, di Javier Marías

RESUMO: Valendo-se do conceito de reprodutibilidade técnica desenvolvido por Walter Benjamin, este artigo investiga algumas possíveis significações assumidas pela fotografia, pelo vídeo e pela tradução em Corazón tan blanco, de Javier Marías. Através destes elementos, o romance nos devolve a imagem de uma pós-modernidade onde a constante intermediação tecnológica conduz à valorização dos “meios” de reprodução e, com eles, de uma economia e de um imaginário caracterizados pela proliferação de simulacros. È assim que original/cópia, autêntico/falso, real/imaginário, revelam-se no texto como termos permeáveis, trazidos à tona por uma contínua reflexão especulativa que evidencia a imanente tensão entre sujeito e técnica.

 

RESUMEN: Utilizando el concepto de reproducibilidad técnica desarrollado por Walter Benjamin, este trabajo investiga algunos posibles significados asumidos por la fotografía, el vídeo y la traducción en Corazón tan blanco, de Javier Marías. A través de esos elementos, la novela nos devuelve la imagen de una “posmodernidad” dónde la constante intermediación tecnológica conduce a la valorización de los “medios” de reproducción e, con ellos, de una economía e un imaginario caracterizados por la proliferación de simulacros. Así, original/copia, autentico/falso, real/imaginario, se revelan, en el texto, como termos permeables, evidenciados por una continua reflexión especulativa que destaca la tensión inherente entre sujeto y técnica.

Palavras-chave: Literatura, pós-modernidade, meios, técnica, reprodutibilidade

 

Palabras principales: Literatura, posmodernidad, medios, técnica, reproducibilidad

Paula Regina Siega Doutoranda em Línguas, Culturas e Sociedades no Departamento de Línguas e Culturas estrangeiras da Universidade de Veneza, onde atualmente se dedica ao estudo da recepção italiana do Cinema Novo. É mestre em Multimeios pela Unicamp (2008) e em Scienze dello Spettacolo e delle Produzioni Multimediali pela Universidade de Veneza (2005). Além de diversos textos sobre teatro, televisão e cultura disponíveis em periódicos on-line, publicou o artigo acadêmico: A seguir cenas de um regime militar. Fenix Revista de História e Estudos Culturais, v. 4, ano 4, n. 2, abril/maio/junho 2007, disponível em: www.revistafenix.pro.br.

 

Paula Regina Siega Dottoranda in Lingue, Culture e Società presso il Dipartimento di Lingue e Culture Straniere dell’Università di Venezia, dove si occupa della ricezione italiana del Cinema Novo brasiliano. È dottoressa magistrale in Multimeios nell’UNICAMP (2008) e in Scienze dello Spettacolo e delle Produzioni Multimediali nell’Università di Venezia. Oltre a diversi testi sul teatro, televisione e cultura disponibili in periodici on line, ha pubblicato l’articolo accademico: A seguir cenas de um regime militar. Fenix Revista de História e Estudos Culturais, v. 4, ano 4, n. 2, abril/maio/junho 2007, disponível em: www.revistafenix.pro.br .

Voltar | Back